quinta-feira, 28 de abril de 2016

24/04/2016 - 6ª Meia Maratona de Balneário Camboriú / SC

 6ª Meia Maratona de Balneário Camboriú


Minha 6ª Meia maratona de Balneário Camboriú foi sem dúvida uma das mais sofridas e suadas que já participei. O calor e a umidade alta, já previstos pela meteorologia, judiaram de todos os atletas na manhã de domingo na hora da prova.

Essa é única meia maratona que consegui participar de todas as edições. Fiz a inscrição bem antes, aproveitando o preço promocional do primeiro lote. Nesse meio tempo fui premiado pela Revista Contra-Relógio com a inscrição para a Maratona de São Paulo, que aconteceria no mesmo dia. Apesar de estar morrendo de vontade de ir mesmo sem a devida preparação, optei por não arriscar e ficar por aqui.

Como Balneário Camboriú é pertinho (menos de 1 hora de carro) fomos somente no dia da prova, uma vez que os amigos gentilmente conseguiram fazer a retirada do kit, entregue completo somente na véspera da prova. No dia da prova somente o número de peito e chip foram entregues. Ainda acho que para o pessoal de fora poderiam fazer a entrega dos kits completo um pouco antes da prova. Ajudaria muito a logística dos atletas que da regiões próximas, e quem não gosta de um kit completo ?!!!.

Para conseguir uma boa vaga próximo a arena do evento saímos às 5:10 de São José. A largada estava prevista para às 7:30. Chegamos perto das 6:00 horas e ainda estava tranquilo, mas o movimento já aumentava rapidamente.

Muitos amigos e muitas assessorias esportivas estavam presentes no evento. Além da meia maratona com seus 21 Km tinha a modalidade de revezamento em dupla e a opção de distância individual de 5 Km. O dia estava bonito, até demais. Com a temperatura já em torno de 26 graus e a umidade do ar perto de 100% (segundo registro do Garmin) já se anunciava uma corrida nada fácil.

Minha expectativa para a prova era tentar baixar o tempo de 2014, de 1h42min10s. E quem sabe, chegar perto do sub 1h40min. Pretendia...bem inocente...

Antes da largada fiz um aquecimento básico de 1 Km mais ou menos e já estava transpirando. Às 7:30 foi dada a largada para os atletas dos 21 Km, tanto do individual como dos primeiros das duplas do revezamento. Um pouco depois foi feita a largada dos 5 Km.

Meu início foi bem contido. Não saí tão forte como nas outras meias maratonas. Estava preocupado em não chegar tão acabado no morro da Estrada da Rainha. Entretanto sentia que alguma coisa não estava tão bem. São cerca de 6 Km no asfalto beirando a praia de Balneário Camboriú até chegar no morro e estava muito difícil de manter o ritmo de 4:40, que seria o meu normal nesse início.

Precocemente, com uns 3 Km de prova, já percebi que seria impossível atingir meu objetivo, mas precisava me manter motivado, o que estava difícil com o sofrimento do esforço exigido fora do comum. Aproximando do morro encontrei a amiga Sabine Weiler, que fazia o seu treino longo de 25 Km. Estamos em preparação também para correr na Wings for Life em Brasília agora no início de maio.

No morro tentei não caminhar, mas estava subindo tão devagar que no meio desisti e fiz a minha primeira caminhada até o topo. Depois disso posso dizer que fui me arrastando. Mesmo no plano a vontade de caminhar e aliviar era enorme, mas olhava para os lados e nenhum dos corredores fazia isso. Não seria eu, então !!! Estávamos já beirando a Praia Brava no sentido Itajaí.

Fui pegando copos de água em todos os postos de hidratação. E de minha parte a organização está de parabéns nesse quesito, pois foram vários postos ao longo do percurso, o que refrescou um pouco do calor que massacrava os atletas. Eu já estava pegando 2 copos de cada vez, um para beber e outra para molhar a cabeça.

Próximo dos 10,5 Km, ponto de troca das duplas, meu pace já estava acima dos 5 min/Km e não desceria mais desse patamar. Aproveitei que estavam dando isotônico e já dei uma caminhadinha para descansar e beber mais tranquilo. Em seguida tomei o meu primeiro e único gel de carboidrato. Nossa, que dificuldade pra tomar isso a essa altura.

Garmin - 6ª Meia maratona de Balneário Camboriú 2016

O meu psicológico já estava em baixa e já fazendo o caminho de volta só assistia o pessoal passando por mim voando. Nem tinha condições de tentar acompanhar. Só depois de um tempinho percebi que boa parte eram os atletas que recém tinham feito a troca do revezamento e passavam ainda com todo o gás.

A temperatura já devia estar superior a 30 Cº. Comecei a aproveitar os postos de hidratação para caminhar um pouco, me molhar e me hidratar. Eram poucos segundos gastos, mas estava preocupado pra não me desidratar e chegar muito mal ou não chegar. Em primeiro lugar a saúde.

Chegamos novamente no morro na volta, 15º Km. Trotei até onde foi possível. Até encontrar o amigo Marcos Vinícius, que subia caminhando. Não teve jeito, caminhei também e fomos conversando e lamentando um pouco até o topo. Não estava fácil para ninguém.

Agora faltavam só mais 6 km e planos pela beira mar de Balneário Camboriú. Só que o sol e o calor pareciam ter dobrado do início da prova. Eu buscava a todo instante uma sombrinha das árvores ou dos prédios nem que fosse momentânea. Vontade mesmo era de me jogar no mar.

Essa parte final corri mantendo um ritmo que me permitisse chegar bem. Não quis forçar mais nada. As previsões de tempo todas estouradas. Era uma prova com condições atípicas. Ainda consegui fazer algumas ultrapassagens, pois todos os atletas já estavam bastante desgastados e chegavam nos seus limites.

Alívio veio quando avistei a Aninha e a Andréa já perto do final. Elas tinham feito os 5 Km e aguardaram para dar apoio e fazer os registros. Era sinal que eu estava bem próximo da chegada e o agito também começava a aumentar. Como é estranho a energia que vamos recebendo do público. Até então eu vinha bem mal e me arrastando. E nesses metros finais parece que aí sim entrei na corrida. Muito legal essa sensação.

Meu último esforço foi tentar chegar antes de 1h50min, pois quando avistei o relógio ao longe apontava 1:49:45. Não era lá grande coisa. Mais uma questão de números. Meu tempo líquido ficou em 1h49min24s, bem longe do meu melhor de 2014, 1h42min10s. Mas foi o melhor que deu pra fazer nas condições da prova.

Demorou um tempo para eu me recuperar na chegada. Ao mesmo tempo que comemorava o término, mal conseguia respirar. Foram alguns bons minutos até me recuperar. Só de isotônicos foram 3 garrafinhas de 500 ml, fora os copos de água e melancias.

Devidamente refeitos e de banho tomado com as duchas disponíveis na praia, fomos para a melhor parte de tudo, passear e recompor as proteínas com os amigos na churrascaria "Costelaço do Tonho" em Meia Praia, Itapema. Merecemos !!!

Não tinha ficado muito satisfeito com o meu tempo na prova, mas verificando o resultado final posteriormente percebi que proporcionalmente foi a minha melhor participação nessa meia maratona considerando a minha colocação e o número de atletas concluintes. Uma surpresa, mas uma certeza de que se o calor e a umidade me castigaram não foi muito diferente para os demais atletas também.


Altimetria

Colocando chip e número com a Aninha e a Andréa
Prontos para a largada
 Primeiros 5 Km (Foto: Focoradical)
 Na volta com um sol de rachar (Foto: Focoradical)
 Eba, está chegando finalmente (Foto: Focoradical)
video
Faltando só mais alguns metros (Vídeo: Ana Paula)
Cruzando a linha de chegada (Foto: Focoradical)
 Hora de refrescar. Que maravilha de ducha

Medalhinha suada
Turistando

Local: Parque Unipraias - Balneário Camboriú/SC
Data: 24/04/2015 
Horário: 07:30 Hs 
Distância: 21,097 Km (21,160 Km) 

Inscrição: R$ 54,00
Kit: Sacolinha, camiseta, pote de atum, número de peito e chip descartável.  

Tempo: 1h49min24s
Pace: 5:10 min/Km

Colocação: 015 de 054 (categoria 45-49 anos)
Colocação: 127 de 480 (masculino)
Colocação: 138 de 658 (geral)

6 comentários:

  1. Parabéns!! Impressionante a riqueza de detalhe que nos transporta para a prova. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Alexandre !!! Muita coisa ainda se perde, mas eu tento deixar registrado para consulta nas futuras edições. Tentando não repetir o que deu errado. Abração.

      Excluir
  2. Eduardo, te vi chegando (gritei, básico), e achei que você ainda estava muito bem. O morro da rainha não é fácil, e olha que treino nele direto, morando aqui! Parabéns pelo resultado assim mesmo. Eu e minha dupla achávamos ter feito um tempo bem ruinzinho e depois descobrimos que ficamos em 5 lugar nas duplas femininas, ou seja, estava ruim para todo mundo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eehhhh, Andrea. Muito obrigado. Esses gritos no finalzinho você não sabe como ajudam. Parece que nos dá uma força extra !!! Nas minhas primeiras meias por aí eu não queria caminhar no morro da Rainha, mas depois percebi que fazia tanto esforço que comprometia o restante. Estou optando por dar uma descansadinha...rs. Quanto ao tempo acho que da grande maioria aumentou mesmo. Puxa, parabéns para vocês também. Que grande resultado !!! No final foi muito bom !!!

      Excluir
  3. Parabéns em dobro Hanada... pela corrida, que foi realmente pura sofrência, e pelo belo relato.
    Ao ler os relatos de suas publicações em teu blog, e em especial aos das provas que tive o prazer de participar, o detalhe nas descrições nos faz voltar ao momento da prova. É show!
    Aos que não são de nosso "mundo louco"... e lêem teus relatos, eles servem como um convite e tanto a endorfinar-se por aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Marcos. Parabéns também pro amigo. Fostes muito guerreiro nas condições da prova. Eu tinha aliviado um pouco antes da metade já e com aquela vontade de jogar a toalha. Só depois que passamos o morro da Rainha na volta que consegui me estabilizar um pouco. E seguimos em frente. Que venham as próximas encrencas... Abraço.

      Excluir