sábado, 17 de agosto de 2019

11/08/2019 - ASICS Golden Run - São Paulo / SP

Foto: Mark (Foco Radical)
ASICS Golden Run - São Paulo 2019


Após quatro longos anos (2015) voltei para para participar da meia maratona ASICS Golden Run São Paulo, sob a organização da Noblu Sports. Atualmente ela é realizada em 3 etapas: Rio de Janeiro São Paulo e Brasília. É uma meia maratona genuína, sem opções de distâncias mais curtas ou mais longas. Mesmo assim foram mais de 5.000 atletas concluintes.

Eu e a Aninha planejamos essa prova aproveitando uma promoção Smiles, que ficou impossível de resistir. Além disso eu também poderia aproveitar o final de semana do Dia dos Pais para encontrar o com meu e dar um abraço ao vivo, e depois voltar para Santa Catarina e jantar com o meu filho. Final de semana de semana foi literalmente corrido.

A inscrição da prova não é das mais baratas, R$ 162,75, mas pela estrutura e serviços oferecidos vale a pena o investimento. Até personalização da camiseta gratuita e uma linda toalha de rosto estava incluso para os atletas.

Como a largada era no Jockey Club de São Paulo optamos por ficar no Hotel Mercure JK, que ficava a pouco mais de 1,5 km do local da prova. Ainda mais que o horário da largada era bem cedinho, às 6h30min, facilitou muito no dia pra não precisar acordar tão de madrugada.

Apesar de não ser muito longe, o acesso ao Jockey Club fica meio perigoso enquanto escuro. É preciso cruzar o Rio Pinheiros pela passarela da ponte estreita. Por isso preferimos ir de UBER para a largada (R$ 10), e ainda dava pra rachar com outros atletas que estavam no hotel. Muito melhor. Não tomamos o café da manhã do hotel, pois seria servido à partir das 6:30 e a essa hora já estaríamos largando. Deixamos para depois.

Chegamos rapidamente a arena da prova, um pouco antes das 6 horas. Fiz aquele ritual pré-prova e nem deu pra me aquecer, pois já estava quase tudo tomado pelos atletas. Logo encontramos a amiga Sabine, e já demos aquele abraço pelo seu aniversário, e o amigo Márcio Kobayashi de Manaus. Prova com muita gente de fora.

Não demorou muito e fui me alinhar para a largada. Ela foi dividida em pelotões. Eu estava no pelotão C. A Aninha, apesar de inscrita, não participou correndo por estar se recuperando de um procedimento e ficou com a minha sacolinha. Também deixei ativado a minha localização do whatsapp para que ela pudesse me acompanhar durante a prova e ter uma ideia da minha chegada.

A largada foi pontualmente às 6:30 e lá fomos nós para tentar a árdua tarefa do sub-1h45. O legal dessa prova é que alguns atletas correm com balões indicando o pace e servem como referência. Eu tentei acompanhar o balão dos 5 min/km, com a meta de chegar à frente dele.

Como larguei no Pelotão C fiquei bem encaixotado e foi difícil correr nos primeiros três quilômetros. Normalmente inicio minhas meias maratonas com pace abaixo de 5 min/km e vou procurando manter até onde conseguir na prova, mas foi impossível dessa vez, pela quantidade de atletas e o trecho estreito.

Fizemos a largada pela Av. Lineo de Paula Machado no sentido da Raia Olímpica da USP. Nesse trecho inicial foi bem difícil correr e perdi uns bons segundos. Com 3 km percorridos passamos para o outro lado da Marginal Pinheiros pela Ponte da Cidade Universitária. Teria que me apressar um pouco para conseguir o meu objetivo.

Seguimos no sentido do Parque Villa Lobos pela Av. Prof. Fonseca Rodrigues até atingirmos o 6º km e retornamos pelo outro lado da avenida. Nessa parte consegui alcançar o balão do pace 5 min/km e previsão de conclusão em 1h45min. Me animei e procurei acompanhá-lo. Algumas vezes eu até fiquei mais à frente. Esse foi o trecho que eu me mantive melhor.

Apesar do clima estar fresquinho, fui pegando água nos postos de hidratação e bebendo metade de um copo pra não deixar a boca seca. Os postos estavam distribuídos de 3 em 3 quilômetros aproximadamente. Alguns pontos teve isotônico em saquinho e gel de carboidrato. Só usei um saquinho de isotônico e dispensei o gel. Não ia dar pra engolir.

No 9º km cruzamos de volta a Ponte sobre o Rio Pinheiros para depois acessar as ruas da USP. Até então estava acompanhando o balão de 1h45min, mas a partir do 10º km não consegui mais. Aos poucos ele foi sumindo na minha frente. Eu até me esforcei para ficar próximo, mas não deu mesmo.

Já na área da USP, beirando a Raia Olímpica, corremos por uma grande reta de aproximadamente 2 km. Normalmente gosto de correr em asfalto e em retas, mas a essa altura ficou puxado, ainda mais com a rua meio esburacada. O rendimento foi caindo e já rodava acima dos 5 min/km novamente.

No final da Raia Olímpica viramos à esquerda para entrar na Av. Escola Politécnica por onde seguimos até atingir o 14º km, ponto em que retornamos. Por ser uma subidinha próximo desse retorno foi um dos meus piores quilômetros com pace de 5:20 min/km. Minha conta já não fechava mais em 1h45min, mas queria chegar o mais próximo possível. Optei por não forçar muito mais e correr pra poder sustentar o pace abaixo dos 5:30 min/km pelo menos.

Retornamos pela mesma Av. Escola Politécnica e da Raia Olímpica, mas pelo outro lado, fechando o trecho pela USP com cerca de 18 km percorridos. Me lembro bem desse trecho quando fiz a  SP City Marathon em 2017. Trecho muito sofrido e com cãibras. Veio na memória. Dessa vez, como era meia maratona, não tive problemas.

Saindo da USP seguimos reto até chegar na Av. Lineo de Paula Machado com praticamente 20 km. E já imaginando o final fui surpreendido pela passagem por baixo de um viaduto com uma subidinha cruel a essa altura. Concentrado me esforcei pra não perder muito o ritmo e poder chegar ainda antes de 1h50min.

Logo entramos no Jockey Club onde foi a chegada e estava montada toda a arena pós prova. Cruzei o portal vendo o relógio do portal acima de 1h50min. Porém, sabia que tinha que descontar alguns minutos da largada pela demora na passagem pelo portal. O tempo líquido ficou em 1h48min44s. Um diferencial dessa prova é que além da medalha para os concluintes ela também oferece uma medalha TOP 100  para os 100 primeiros colocados masculinos e femininos. Acredito que para os homens era necessário chegar antes de 1h30min e para as mulheres 1h45min para conquistá-la.

Até que não cheguei tão destruído. Tomei uns copos de água, recebi a medalha e uma toalha de rosto da ASICS, bem bonita. A medalha tinha um espaço atrás para quem quisesse gravar o seu tempo de prova. Como o meu não foi dos melhores não me dei esse presente. Vai ficar para uma próxima.

A Aninha estava me esperando na chegada. Fomos pegar o kit pós prova (uma maçã e um isotônico) e depois ficamos por lá aproveitando a estrutura da arena. Tinha ampla tenda de massagens, vários painéis para fotos, crioterapia, bancos espalhados para descansar, gravação de medalhas, além de banheiros e guarda-volume.

Encontramos os amigos Enio, Andressa, Ricardo, a Sabine e o Márcio, novamente na chegada. Todos felizes em concluir com sucesso mais uma meia maratona. Também encontrei o amigo de infância e de colégio, Emerson Maeda, que ainda mora em São Paulo e também tomou gosto pela prática da corrida. Aliás foi muito bem. Já deixando o Jockey Club encontramos o Bob e o Marco Garcia do Mania de Corrida. Também estão em todas.

O bom de largar cedo (quando não está muito frio) é que antes das 9:30 já estamos livres. Para retornar ao hotel usamos as bicicletas da Yellow até a porta do hotel com direito a um passeio por dentro do Parque do Povo. O preço de lá é metade do daqui: 15 minutos por R$ 1,00. Como de manhã não foi possível, ainda deu tempo de aproveitar e tomar delicioso café da manhã, servido até às 11 horas. Valeu pelo almoço !

Percurso: ASICS Golden Run São Paulo 2019
Partindo para São Paulo
Retirada do kit da Asics Golden Run São Paulo 2019, 
na Loja da ASICS na Rua Oscar Freire
Kit da Asics Golden Run São Paulo 2019
Correndo pelas ruas da USP
(Foto: Foco Radical)
61ª Meia maratona concluída com sucesso
Amigos meia maratonistas presentes
Missão cumprida
Na arquibanca com o Jockey Club ao fundo
Medalha e toalhinha entregues na chegada aos concluintes
Hora de ir embora
Certificado da ASICS Golden Run 2019

Local: Jockey Club de São Paulo / SP 
Data: 11/08/2019 
Horário: 06h30min (6h32min)  
Distância: 21,097 km (21,24 km) 

Inscrição: R$ 162,75
Kit: Sacola, camiseta, número de peito com chip descartável. 

Tempo: 1h48min44s
Pace: 5:05 min/Km
Tênis: Saucony Kinvara 9

Colocação: 0151 de 0455 (categoria 45-49 anos) - Aproximado
Colocação: 1235 de 3333 (masculino) - Aproximado
Colocação: 1407 de 4712 (geral) - Aproximado

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

28/07/2019 - Corrida da Polícia Civil - FLN/SC

Foto: Foco Radical
Corrida da Polícia Civil - FLN/SC

Resultados 5 km e 10km
Fotos da Corrida FB (by Eduardo Hanada)

Participei nesse último domingo da 1ª edição da Corrida da Polícia Civil em Florianópolis, que teve como organizadora o grupo STC. A prova contou com as distâncias de 5 km e 10 km, tendo como percurso a tradicional Beira mar Norte. Todas as 1000 inscrições foram encerradas antecipadamente, e quem não garantiu não teve jeito.

Eu tinha feito a minha inscrição na distância de 5 km, ainda no 1º lote do mês anterior. Para incentivar a participação dos policiais civis de Santa Catarina eles contaram com um desconto adicional. Por esse motivo imaginei que a grande maioria dos participantes seria da própria polícia, mas pelo que vi a participação popular foi bem maior.

A entrega dos kits foi realizada na Loja Decathlon da SC-401, em Florianópolis, durante todo o sábado, véspera da prova. Apesar de não ser muito perto de casa, acho o local ideal, pois conta com uma boa estrutura com amplo estacionamento gratuito, e possibilita dar uma conferida nos produtos esportivos. Fui na manhã do sábado e foi bem tranquilo a retirada, sem fila alguma.

No domingo, dia da prova, eu e a Aninha fomos para a largada ainda escuro. Chegamos antes das 6:30 e foi bem fácil conseguir vaga para estacionar, mesmo para quem chegou um pouco mais tarde. Até estranhei. Dessa vez só eu participei da corrida. A Aninha me acompanhou somente para fazer o seu treino por lá e os registros.

O clima estava friozinho em torno de 15º C. Bom para correr, ainda mais que não ventava forte. Logo quando chegamos a arena ainda estava vazia, mas a medida que horário da largada se aproximava os atletas foram aparecendo. O horário da largada estava previsto para 7:30.

A estrutura montada para a prova estava boa e completa, com todos os serviços normalmente oferecidos: banheiros químicos, guarda-volumes, palco de premiação, tenda de massagens, de exposição de alguns produtos, e de pós-prova.

Fazia um tempinho que eu não corria uma prova de 5 km e em percurso plano pra testar a velocidade. Tinha como objetivo fazer a prova em menos de 23 min. Sabia que não seria fácil, pois ultimamente não tenho feito treino de tiros, somente rodagens. Seria um bom teste.

Curiosamente, o portal de largada estava posicionado na pista do meio da Av. Beira mar Norte e para chegar até ele era necessário atravessar uma das pistas, que estava aberta para os veículos. Por isso exigiu atenção e consciência dos atletas para evitar algum acidente. Dessa forma, se mantiveram abertas parte das pistas tanto no sentido da ida como de volta pela beira mar.

Estava difícil ficar esperando ali parado com o friozinho que estava fazendo. E como em provas curtas de 5 km é sempre bom já sair bem aquecido fui fazer um trote pra soltar as pernas minutos antes da largada.

Às 7:30 pontualmente, foi dada a largada para as duas distâncias, 5 km e 10 km. Eu havia me posicionado mais a frente pra não perder muito tempo na largada, pois qualquer segundo perdido nesse início é difícil recuperar depois, ainda mais em provas curtas.

Larguei empolgado, mas sem exageros. O percurso conhecido era uma grande reta de ida e volta até a altura do bolsão do Bar Koxixo's pela beira mar norte. Esse é  o tipo de prova que gosto de correr: plano, reto e em asfalto. Se tiver com a distância correta fica perfeito.

Meu 1º km até que foi bom, com pace de 4:20 min/km. Saí sem pegar congestionamento e corri sem  perder tempo desviando dos outros atletas. O meu 2º km também se manteve no mesmo ritmo e já me deixou confiante para conseguir a minha meta.

Com exatos 2,5 km cheguei no retorno dos 5 km e comecei o meu caminho de volta, já sabendo que seria difícil manter o ritmo inicial. Mesmo assim consegui fechar o pace no 3º km em 4:30 min/km. Os atletas dos 10 km seguiram reto no sentido da UFSC e só retornaram bem mais a frente.

Normalmente em provas de 5 km não bebo água no percurso, mas dessa vez peguei um copo pra dar uma molhadinha na boca, que estava seca. Meu 4º km foi o pace mais alto, 4:33 min/km, e até que consegui sustentar o ritmo sem deixar cair muito, mas já estava naquela sensação de esforço máximo.

No último quilômetro, já sabendo que daria pra cumprir o sub-23min caso a distância fechasse realmente os 5 km, apertei de novo o ritmo, gastando o restante da minha energia. Valeu a pena. Cruzei o portal de chegada com o tempo líquido de 22min16s, e o melhor, quando olhei para o Garmin vi a que distância estava correta. Fiquei muito feliz por isso, pois ultimamente é raridade uma prova cumprindo a distância anunciada.

Me hidratei, retirei a medalha e me recuperei rapidamente. Depois encontrei a Aninha que estava fazendo os registros no percurso, troquei a camiseta suada, me agasalhei e ficamos assistindo a chegada dos amigos. Aproveitei a oportunidade pra saborear um bom #brigadeirosonhador do amigo @franscisobezerra.jr, que por meio dessa ação visa angariar fundos para realizar o seu sonho de fazer um intercâmbio no exterior.

O legal de corridas bem cedo e curtas é que antes das 9 horas praticamente todos os atletas já terminaram as suas participações. A apuração do resultado parcial também foi super rápida e enquanto aguardávamos a premiação já foi possível consultar no site Chiptiming.

Além da premiação geral teve também belos troféus para as categorias por faixa etária até a 3ª colocação nas duas distâncias, de 5 km e 10 km, no feminino e masculino. Muito bom. Tive até esperanças de pegar alguma coisa, mas não passei de uma 8ª colocação na minha disputada categoria (45-49 anos). De qualquer forma fiquei feliz pelo meu desempenho.

Gostei basteante dessa 1ª edição da Corrida da Polícia Civil. Foi bem organizada, com destaques para aferição na distância (pelo menos nos 5 km que participei), premiação nas categorias por faixa etária nas duas distâncias, medalhas e troféus bonitos, e a pontualidade no horário da largada. Além disso, ofereceu toda a estrutura padrão esperada para uma boa prova.

Percurso da distância dos 5 km. Nos 10 km o retorno foi mais a frente 
Kit da Corrida da Polícia Civil
Retirada do kit na Loja Decathlon
Estamos na área
Eu e a Aninha antes da largada e agasalhados do frio
Alguns amigos presentes na Corrida da Polícia Civil - FLN/SC
Correndo meio concentrado
(Foto: Foco Radical)
Reta final !!!
(Foto: Ana Paula Marcon)
Chegando...
(Foto: Equipe Confraria das Corridas)
Chegando. Tempo líquido: 22min16s
(Foto: Foco Radical)
Ajudando o amigo Francisco a realizar o seu sonho. De brinde um BRIGADEIRO !!!
Meta de sub-23 nos 5 km concluída com sucesso
Medalha da Corrida da Polícia Civil
Certificado da Corrida da Polícia Civil

Local: Beira mar Norte - Trapiche - Florianópolis/SC
Data: 28/07/2019
Horário: 7:30 hs
Distância: 5km (5,05 km)

Inscrição: R$ 54,89
Kit: Sacolinha, camiseta e número de peito com chip.

Tempo: 22min16s
Pace: 4:26 min/km
Tênis: Asics Piranha 5

Distância 5 km:
Colocação: 008 de 024 (45-49 anos)
Colocação: 039 de 270 (masculino)
Colocação: 042 de 540 (geral)

Distância 10 km:
353 concluintes (248 masculinos e 105 femininos)

quinta-feira, 11 de julho de 2019

07/07/2019 - Junta & Vai - A Corrida do Lacre Amigo - FLN/SC

Foto: Alexandre Santiago - Foco Radical
Junta & Vai - A Corrida do Lacre Amigo - FLN/SC

Resultados 4km e 8km
Fotos da Corrida FB (by Eduardo Hanada)

No último domingo participamos da Junta & Vai, uma corrida que tem como objetivo juntar pessoas e lacres em prol da Campanha LACRE AMIGO ARTERIS. É um projeto que se utiliza dos anéis das latinhas de alumínio para a troca por cadeiras de rodas. A cada 140 garrafas pets cheias do lacre ou 90 kg é realizada a doação de uma cadeira de rodas para instituições sociais, além dar a destinação correta do material.

A corrida Junta & Vai apresenta 3 etapas: uma de Joinville (já realizada), essa de Florianópolis e a de São Paulo, que acontecerá no dia 22/09. O valor da inscrição ficou bem acessível, R$ 35, o que viabilizou a participação de um grande número de atletas, principalmente os iniciantes. Além disso promove uma ação por uma boa causa. Minha inscrição fiz bem antes para garantir, e já prevendo um grande número de participantes.

Um dos atrativos da prova foi o kit de participação, já anunciado e divulgado antecipadamente. Além da camiseta, número de peito e chip, acompanhava uma útil bolsa térmica, que por si só já valia o preço da inscrição. Gostei bastante e também agradou a maioria dos atletas.

A entrega dos kits foi realizada em um local diferente, no Hotel Cambirela. Aconteceu na sexta e no sábado (véspera da prova). Não teve entrega de kits no dia do evento. Aproveitei o horário de almoço e fui retirar os kits com o amigo Humberto ainda no primeiro dia. Tudo bem tranquilo e em um salão bem amplo, com uma pequena exposição de produtos esportivos.

Além das distâncias de 4 km e 8 km também teve opção de caminhada e corrida infantil. Tinha opções para todos participarem. Eu e a Aninha nos inscrevemos para a prova de 8 km e agradeço a amiga Carol Spricigo da assessoria de imprensa pela viabilidade e atenção na recepção da prova. Estão de parabéns pelo belo evento, que foi um sucesso de público.

O clima durante a semana estava frio e para o dia da prova não foi diferente. Às 6 horas do domingo os termômetros registravam 7º C. Creio que foi a minha corrida mais fria desse ano. A largada estava prevista para as 7:00, talvez pudesse ser um pouquinho mais tarde nessa época. Às 8 horas já ajudaria bem, ainda mais em se tratando de uma prova curta. Mesmo assim a quantidade de participantes superou os 1.600 atletas.

Chegamos ainda no escuro e no período pré-prova ficamos agasalhados até momentos antes da largada. Poucos foram os corajosos que correram de camiseta regata. Não me lembro de nenhum. A nossa sorte foi que dessa vez não havia vento pela beira mar do estreito e nem tinha chances de chuva. Era só o frio mesmo.

Uma boa estrutura foi montada para receber os atletas: banheiros químicos suficientes, palco da premiação, tendas de massagem, guarda-volumes, imprensa, de chegada e painéis para fotos. A vantagem do local é que bem espaçoso e o tempo ajudou,

Como estava muito frio, eu, a Aninha e muitos atletas deixaram para se trocar ou retirar os seus agasalhos já próximo do horário. Ficar parado não dava. Aos poucos o pessoal foi chegando e momentos antes da largada a arena da prova já estava bem movimentada.

Minha meta para os 8 km era correr abaixo de 38 minutos, o que daria um pace próximo de 4:45 min/km. No momento era o que eu achava que o meu condicionamento me permitiria. A Aninha também faria os 8 km e estava animada para fazer a prova.

O percurso foi ao longo da beira mar continental de Estreito, mas sem o trecho de subidinha, próximo de 1,8 km, e o retorno na outra ponta da beira mar, antes do tradicional ponto em frente ao IFSC. Como as pistas são em asfalto e planas são muito rápidas e boas para os atletas iniciantes.

As largadas das duas distância 4km e 8km foram pontuais e simultâneas, às 7:05. Não me posicionei muito à frente, pois iria fazer os 8 km e normalmente o pessoal da distância mais curta sai bem mais rápido.

Dessa vez, fiz a minha largada mais forte com a ideia de manter o pace abaixo de 4:40 min/km. Corri  pelo lado de fora para evitar o congestionamento e foi melhor para não fazer muitos desvios. Meu  1º km saiu à 4:33 min/km e o 2º km à 4:30 min/km. O tempo fresquinho e sem vento ajudou. Exatamente ao final do 2º km foi o ponto de retorno.

Achei interessante e diferente a hidratação do percurso. Apesar do clima estar fresquinho a minha boca estava seca. E quando passei por um dos postos de hidratação, ao invés dos tradicionais copos, foram entregues saquinhos plásticos com água. Achei bem prático a água servida dessa forma, pois facilita manter o ritmo para dar uns goles. Primeira prova que participo com esse tipo de hidratação. Muito bom.

No retorno da 1ª volta não consegui manter o pace inicial e subiu para a casa de 4:40 min/km. Com quase 4 km estávamos próximos da chegada. Os atletas dos 4 km terminavam por ali a participação e os dos 8 km, retornaram abrindo a 2ª volta. Como o retorno foi um pouco antes do portal de chegada o 4º km fechou só no início 2ª volta. Meu pace nesse quilômetro foi o mais alto da prova, 4:47 min/km.


Na 2ª volta o número de atletas foi bem menor e pudemos correr mais espaçados durante o trecho de ida. Não precisei pegar mais água nos postos de hidratação. Estava friozinho e não me deu sede. A respiração já estava mais ofegante e as pernas começaram a pesar.

Já próximo do retorno acabamos nos juntando ao pessoal da caminhada e da distância dos 4 km. E a volta ficou mais movimentada. Eu já estava no meu esforço máximo e não conseguia mais acelerar. Fazia um tempinho que não corria provas curtas. Completei a prova com o tempo líquido de 36min18s e contente por ter sido abaixo dos 38 min planejados, mesmo faltando uns 200 m para fechar os 8 km.

Ao chegar, como tinha visto a Aninha no último retorno e ela vinha logo atrás, fiquei na chegada esperando. Em pouco mais de 2 minutos ela cruzou o portal. Eu estava me recuperando ofegante ainda. Fechou com o tempo líquido de 38min32s e muito feliz pelo desempenho com o pace médio abaixo de 5 min/km. Grande resultado, o que lhe rendeu a 5ª colocação da categoria por faixa etária (36-41 anos).

Me hidratei, retiramos a bonita medalha no formato de lacre e fomos rapidamente trocar as roupas suadas e nos agasalhar. Apesar do sol e do lindo dia continuava frio. Tomamos um bom café para esquentar na tenda da imprensa à convite da amiga Carol (@carolina_spricigo) das @mulheresnapista, e encontramos também os amigos blogueiros Said @colecionadordecorridas) e a Karla (@running.in.floripa).

Aguardamos a cerimônia de premiação também na expectativa do sorteio dos brindes para o público presente, mas não foi dessa vez. Foram premiados com troféus os 3 primeiros colocados gerais masculinos e femininos, e com medalhões os 3 primeiros colocados por faixa etária na distância de 8 km. O amigo Jabson conquistou a 1ª colocação da categoria e o Randawf a 7ª colocação geral. Até que não fui tão mal, ficando na 11ª colocação da categoria (48-53 anos) de 44 atletas e a Aninha ficou melhor ainda na 5ª colocação por faixa etária das 96 atleta concluintes.

Foi um evento muito agradável apesar do frio que estava em torno de 8ºC. Mesmo assim a maioria dos atletas não desistiram e marcaram presença. Uma excelente estrutura foi montada para receber à todos. Alguns destaques foram: o preço da inscrição, a qualidade do kit com camiseta e bolsa térmica, o formato diferente da medalha, e a hidratação durante a prova entregue em saquinhos de água. Espero que esse circuito venha para ficar aqui em Santa Catarina.

Distância total de 7,79 km (em 2 voltas)
Kit ad Junta & Vai - A Corrida do Lacre Amigo, com camiseta e bolsa térmica
Retirando os kits dos amigos no Hotel Cambirela
Prontos para a largada
Alguns amigos presentes antes da largada
Foto com a Ponte Hercílio Luz ao fundo não pode faltar
(Foto: Alexandre Santiago - Foco Radical)
Aninha voando
(Foto: Foco Radical)
Chegando... Tempo líquido: 36min18s
(Foto: Fotop)
Eu e a Aninha com as medalhas em formato de Lacre 
Mais alguns amigos presentes e concluintes
O dia ficou bonito e o cenário também
Certificado da Junta & Vai - A Corrida do Lacre Amigo

Local: Beira mar Continental do Estreito - Florianópolis/SC
Data: 07/07/2019
Horário: 7:00 hs (7:07 hs)
Distância: 8km (7,79 km)

Inscrição: R$ 35,00
Kit: Bolsinha térmica, camiseta, número de peito e chip descartável.

Tempo: 36min18s
Pace: 4:40 min/Km
Tênis: Asics Gel Hyperspeed 6

Distância 8 km:
Colocação: 011 de 044 (48-53 anos)
Colocação: 138 de 465 (masculino)
Colocação: 146 de 834 (geral)

Distância 4 km:
714 concluintes (260 masculinos e 454 femininos)

sábado, 29 de junho de 2019

23/06/2019 - 42k de Floripa - Meia Maratona de Floripa / SC

Foto: Felipe da Cruz - Foco Radical
42k de Floripa - Meia Maratona de Floripa


Consolidando a mudança da antiga "Meia Maratona de Floripa" para os "42k de Floripa" aconteceu no último domingo (23) a 9ª edição dessa tradicional prova da O2, que se iniciou em 2011. Participei de todas elas na distância de 21 km e esse é um dos principais motivos de insistir em fazer a meia maratona. Além disso teve as opções de maratona e de 10 km, que ficou uma distância muito alta para a participação de alguns atletas, que normalmente começam com os tradicionais 5 km. Nessa data também acontecia no Rio de Janeiro a Maratona do Rio.

Essa era uma prova especial e comemorativa pra mim. Além de participar de todas as 9 edições da Meia de Floripa, também comemorei 60 meias maratonas completadas desde 2010, quando iniciei nessa distância na Meia maratona Internacional de Florianópolis. Coisa inimaginável na minha época de sedentarismo.

Nessa oportunidade eu e a Aninha nos inscrevemos por um site de compras coletivas, que ficou com valor bem mais em conta que o preço disponível inclusive para sócio do Clube O2.  O preço ficou R$ 80,92 para a meia maratona com o kit básico com camiseta.

Igualmente ao ano passado foram divulgados 12 mil inscritos para a prova distribuídos pelas 3 distâncias: 42k, 21k e 10k. Uma grande quantidade dos atletas vieram de outros estados aproveitando o final de semana prolongado, ajudando a movimentar a economia local. Alguns amigos que vieram de fora: Márcio de Manaus, Dione, Akemi, o locutor Otton do Paraná, Nádia de São Paulo. Devem ter vindos muito mais que acabei não encontrando.

A entrega do kit começou ainda na quinta-feira, dia 20 (feriado de Corpus Christi), o que facilitou para os atletas locais adiantarem a retirada. O local foi o Shopping Iguatemi. Eu e a Aninha fomos no final da tarde e estava bem tranquilo. Em um amplo espaço, teve Expo de produtos esportivos, massagem e vários painéis: com a lista dos atletas da meia maratona e maratona, modelos das medalhas diferenciadas, com a ponte Hercílio Luz e o percurso.

Como já estava esfriando, aproveitamos para comprar a jaqueta da prova (preta) na lojinha da Ativo Store. Eu já estava de olho desde antes. Bem bonita e não sei se durou até o final da entrega do kit que foi no sábado, véspera da prova. O preço da jaqueta era R$ 100 e para sócio do Clube O2 ficava R$ 90.

Com a confirmação de um grande número de atletas, planejamos chegar ao local da prova às 5 horas da manhã, cerca de 1h30 antes da 1ª largada que seria da maratona. Menos mal que não estava tão frio o clima estava bem agradável para correr. Mesmo chegando cedo, os melhores locais pra estacionar já estavam ocupados, mas deu pra deixar o carro ainda próximo.

A grande maioria dos amigos corredores participaram da prova também em alguma das 3 distâncias, mas pela grandiosidade do evento poucos foram os que consegui encontrar pessoalmente. Alguns somente correndo durante o percurso mesmo. Mas foi muito legal, pois correndo em casa sempre tem algum conhecido. Entre os amigos maratonistas estavam o James, a Sabine, Elza, Fernando e Ronaldo (Imperatriz Runnig), Márcio e Nádia.

Uma mega estrutura foi montada para o evento, com vários banheiro químicos, tendas de massagens, crioterapia, guarda-volumes, diversos tipos painéis para fotos para cada distância, plaquinhas com mensagens, palco da premiação e a área VIP do Clube O2, que facilitou bem o acesso ao banheiro, frutas e barras de cereais, água, área para descanso e massagem. Eu aproveitei bastante.

As largadas aconteceram em 3 momentos diferentes: a maratona às 6:30, a meia maratona às 6:45 e os 10 km às 7:00. E foi importante mesmo fazer essa escala, pois eram muitos atletas para largar ao mesmo tempo.

Esse ano meu número de peito veio classificado no pelotão verde, largando depois do pelotão quênia e azul. Com isso tive que sair bem atrás. Não entendi o critério, mas com certeza não foi baseado no tempo informado na inscrição e nem nos resultados anteriores. Paciência, saí meio encaixotado lá atrás. Isso me custou um 1º km com pace bem alto para esse início, 5:09 min/km. A Aninha largou no pelotão quênia e passou pelo portal cerca de 2 minutos antes que eu.

Pensei que a dispersão pela beira mar continental fosse mais tranquila, mas corri por toda a sua extensão e até depois de atravessar a ponte Pedro Ivo Campos tendo que fazer vários zigue-zagues para não perder muito tempo. A ponte estava parcialmente fechada. Consegui manter os paces abaixo de 5 min/km nesses quilômetros, mas o esforço foi um pouco maior por conta desses desvios. Meu objetivo era concluir a meia maratona abaixo de 1h45min.

Com aproximadamente 3,5 km percorridos passei pela Aninha que já estava no meio da ponte. Ela estava indo bem. Dei um "oi" e segui concentrado tentando recuperar o tempo perdido no começo. Descemos a ponte, pegamos o viaduto Rita Maria com uma subidinha rápida. Depois entramos pela Beira mar Norte para uma longa reta.

O tempo estava fresquinho e fui pegando hidratação ora sim, ora não. Depois da ponte já estava conseguindo rodar com o pace médio abaixo dos 5 min/km e a intenção era seguir assim até o final. O bom é que esse trecho é plano e podemos correr mais livres. Estava animado por ter conseguido me recuperar.

Enquanto corria pela beira mar norte passei por vários atletas da maratona que tinham largado uns 15 minutos antes. Essa parte foi comum para as duas distâncias. Me arrependi de não ter levado o óculos escuro pois estávamos contra o sol. Da próxima não vou arriscar correr sem, pois incomodou. Um pouco mais a frente foi o retorno dos meia maratonistas, logo após o 10º km, antes da alça de acesso para a SC-401, que leva ao Norte da Ilha. O pessoal da maratona seguiu reto para fazer o retorno somente próximo da UFSC.

Cheguei no retorno me sentindo bem e conseguindo correr ao lado do amigo Rafael, que estava fazendo a meia também. Mas depois do retorno não consegui acompanhá-lo mais e segui no meu ritmo que ainda estava bom. Em um dos postos peguei o isotônico que foi entregue em saquinhos. Acho que é forma mais prática para ir bebendo sem precisar parar.

Esse trecho da volta pela Beira mar Norte consegui manter o pace um pouco abaixo de 5 min/km. Foi uma parte interessante da prova, pois do lado oposto vinham muitos atletas da meia e da maratona. E, no nosso sentido, já chegavam com facilidade os atletas de ponta da maratona (eles tinham feito o retorno bem mais a frente na UFSC). Passavam e sumiam rapidamente pela frente.

Eu sabia que a parte final seria mais desgastante pois tinha a subida da ponte que exige um esforço adicional para vencê-la. O meu 15º km passei com o tempo de 1:13:33, ainda confiante na manutenção desse ritmo. Lembro de ter pego um gel da carboidrato que estava sendo distribuído, mas nem consegui tomar durante a prova.

Passamos por baixo da Ponte Hercílio Luz e na altura do 16º km subimos pela viaduto que daria acesso a Ponte Colombo Sales. Nesse ponto, os atletas da maratona seguiram reto no sentido da via Expressa Sul. Ufa, como fiquei aliviado de estar fazendo a meia. Como eu imaginava, nessa subida pelo viaduto e depois pela ponte, os paces foram subindo e queimaram toda a minha gordura de tempo que tinha. Já não tinha mais força nas pernas.

Na descida da 2ª parte da ponte recuperei um pouco o tempo, mas em seguida, já do lado continental, sofri para terminar os últimos 2 quilômetros. Parecia que não chegava nunca aquele longo trecho da beira mar. Nessa última parte com a queda do meu rendimento sofri diversas ultrapassagens. Chegando próximo é muito bonito de se ver o corredor formado pelo público para receber os atletas, já tradicional principalmente nas provas de maratonas.

Meu objetivo de sub 1h45min sabia que não seria possível, mas o esforço final foi para deixar o pace médio da prova em 5 min/km, e cravei nessa marca. Cruzei o portal de chegada com o tempo de 1h46min45s. A distância da meia maratona, como no ano passado, passou cerca de 300 m, conforme registro do relógio GPS.

Após a chegada fiquei por ali me hidratando e esperando a Aninha. Sabia que ela vinha bem e não demoraria muito. Porém, bobeei e ela chegou mais rápido que a minha recuperação. Acabei perdendo a sua chegada, que foi o seu novo RP (recorde pessoal) na meia maratona, 1:57:46. Excelente resultado. Muito orgulho.

Bebi uns copos de água, mais um saquinho de isotônico e retirei a minha medalha. Novamente ela veio protegida com uma embalagem plástica para não pegar o suor, sendo que também foram diferenciadas para cada uma das distâncias, 10 km, 21 km ou 42 km. Muito bom isso.

Depois aproveitamos a área VIP do clube O2 com as frutas, barras de cereais e água disponíveis, além do serviço de massagem. Em seguida fomos acompanhar a chegada dos maratonistas. É uma das partes mais emocionantes de se ver: atletas chegando com pedido de casamento, com declarações, com filhinhos no colo, com a família, com os amigos, com bandeiras, filmando, fazendo ao vivo, se arrastando, mancando, sprintando, gritando, chorando... tem de tudo. Vale a pena assistir a chegada de uma maratona !!!

Achei a organização boa como um todo, apesar ter tido problema na definição do meu pelotão de largada, problema no meu resultado final, e o percurso ter cerca de 300 metros a mais da distância oficial da meia maratona (no ano passado também foi assim). As estruturas da arena, os painéis para fotos, os postos de hidratação, horário e diferenciação das largadas, narração, diferenciação das medalhas foram alguns dos pontos altos do evento.

O meu resultado oficial até o momento (29/06/2019) encontra-se errado, classificado na distância de 10 km, sendo que fiz a distância de 21 km (meia maratona). Apesar de várias solicitações de correção ainda não tive nenhuma posição efetiva. Resultado e Certificado foi corrigido em 02/07/2019.

O pós-prova foi novamente na Churrascaria Riosulense convenientemente localizada a poucos metros do local da prova. Fica a recomendação de um bom churrasco !!!

Percurso 2019 (21,37 Km)
Retirada dos kits (com a jaqueta da prova)
Kit básico com personalização da camiseta para sócios do clube O2
Eu e a Aninha chegando cedo e ainda escuro
Alguns amigos presentes
Voltando pela ponte
(Foto: Foco Radical) 
Faltando pouco
(Foto: Foco Radical) 
Reta final com a Ponte Hercílio Luz ao fundo.
Sprint na chegada
(Foto: Foco Radical)
Chegada. Tempo líquido: 1h46min35s

Aninha conferindo o tempo...novo RP !!!
Linda medalha.
Eu e a Aninha com as belas medalhas
A dor é temporária. A foto no Insta é para sempre !!!
Resultado e Certificado devidamente corrigidos em 02/07/2019

Local: Beira mar Continental - FLN/SC
Data: 23/06/2019
Horário: 06:45 Hs (6h50min)
Distância: 21,097 km (21,37 km)

Inscrição: R$ 80,92 (pelo site de compras coletivas Groupon)
Kit: Sacola térmica, camiseta manga curta, bandana, sache de fórmula hiperprotéica (40g) e número de peito com chip descartável.

Tempo: 1h46min45s
Pace: 5:00 min/Km
Tênis: Saucony Kinvara 9

2019
Colocação: 041 de 0192 (categoria 45-49 anos aproximado)
Colocação: 364 de 1530 (masculino - aproximado)
Colocação: 425 de 2900 (geral - aproximado)

2018
Colocação: 043 de 0181 (categoria 45-49 anos aproximado)
Colocação: 325 de 1560 (masculino - aproximado)
Colocação: 368 de 2723 (geral - aproximado)

2017
Colocação: 030 de 0211 (categoria 45-49 anos aproximado)
Colocação: 251 de 1680 (masculino - aproximado)
Colocação: 272 de 2643 (geral - aproximado)

* A divulgação dos resultados não facilita a totalização dos números por isso a classificação são estimativas bem aproximadas.